domingo, 1 de dezembro de 2013

Mensagem de Mãe Maria - Elementais

MENSAGEM DE MÃE MARIA
Através de Jane Ribeiro
SP-19/02/2013


Amados Filhos,

Que as bênçãos do amor tragam paz aos vossos corpos, mentes e corações.

Este é um momentum em que os Filhos da Terra necessitam comungar com a Mãe Natureza, e com tudo que tem vida em vosso planeta.

É preciso que possais compreender que os elementais da natureza reagem, neste momento de transição, a todas as agressões recebidas ao longo dos tempos e, também, recebem todo o impacto das alterações vibracionais de vossa Mãe Terra.

A confusão impingida pelo homem e as alterações na vibração de vosso planeta trazem, como resultado, desequilíbrio aos elementais, e é preciso que o ser humano compreenda, assuma a responsabilidade e ajude a reequilibrar essas formas de vida.

E isso, amados, só se faz com amor.

Enviai, pois muito amor aos elementais da natureza, comungai com eles, cuidai de vossas águas, vossas matas, vosso ar; fazei a vossa parte na certeza de que, por menor que seja vossa contribuição, a totalidade de pequenos atos, de cada um de vós, geram uma enorme atividade em prol da natureza e de seus filhos.

Pedi, pois em vossas orações equilíbrio aos elementais do fogo, da terra, da água e do ar; enviai vossa vibração amorosa a eles sem alimentar o medo do que pode ocorrer nos momentos em que eles atuam de forma devastadora; manter o estado de paz nessas situações é o grande desafio que a vida vos impõe; tenham a certeza de que aqueles que se empenham em estar equilibrados, nos momentos de confusão, geram uma enorme onda que se propaga e envolve o ponto crítico onde foram gerados os desequilíbrios.

Lembrai-vos que as fortes chuvas, a migração em massa de vossos golfinhos, as manifestações de raios e trovões, a neve e frios intensos, o calor abrasante, e tantas outras intervenções dos elementais em vosso planeta, nada mais são do que o resultado de todo desequilíbrio que o ser humano impôs a vossa Mãe Terra.

É hora, pois de corrigir tudo isso, adotando um novo paradigma, reconhecendo na natureza um parceiro fiel que aí está para ajudar-vos a crescer, estabelecendo um novo comportamento, zeloso e amoroso, no trato de tudo que tem vida, deixando para trás os milhares de anos de descaso e devastação que nortearam o comportamento do homem em relação a tudo que tem vida em vosso planeta.

Bem amados, urge mudar, urge trabalhar vosso equilíbrio, urge abrir vosso coração para ajudar aos reinos que aí habitam convosco a curar suas feridas, para resgatarem o propósito divino que os colocou juntos nesse solo sagrado com o único propósito de resgatarem uma perfeita interação, para que as intempéries deixem de devastar vossas terras, vossas casas, vossos lares, vossas vidas.

Bem amados, lembrai-vos que esta é a hora da verdade, e a verdade só se revela àqueles que buscam cumprir o compromisso assumido com suas almas; é hora, pois de rever vossos pensamentos, sentimentos e intenções, para que vossas ações sejam a manifestação do ser de luz que sois, ser que nunca ignora seu propósito e sua filiação divinas, que busca diuturnamente agir em prol do bem comum, que deixa para trás o egoísmo, a inveja e a separação, para unir, reunir, trazer de volta para perto de si tudo que palpita vida, sintonizando sua frequência com a frequência que revela a unidade nesse vosso planeta, a frequência do amor incondicional.

Bem amados, que a paz habite vossos corações, que o amor esteja sempre presente em vossas vidas, e que a compreensão da verdade de que sois todos filhos do mesmo Pai indique o caminho a seguir, caminho da retidão, da alegria e da unidade infinita com Deus-Pai-Mãe.

Bem amados, que vossas orações possam continuar sustentando o alicerce de paz, amor e abundância em vosso planeta, em vossas vidas e na vida de todos os vossos irmãos.

Bem amados, Eu vos deixo agora derramando sobre todos vós as minhas bênçãos e envolvendo a todos no meu manto de proteção, porque ...

Eu Sou Maria, Vossa Mãe.

Mensagem enviada por Silvana Toti

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Como o Kardecismo encara os transplantes de órgãos?


Como o Kardecismo encara os transplantes de órgãos?

O assunto não foi, evidentemente, tratado por Kardec, mas o Dr. Jorge Andréa, no seu livro Psicologia Espírita, págs. 42 e 43, examinando o tema, assevera que não há nenhuma dúvida de que, nas condições atuais da vida em que nos encontramos, os transplantes devem ser utilizados.

A conquista da ciência é força cósmica positiva que não deve ser relegada a posição secundária por pieguismos religiosos. Por isso, chegará o dia em que poderemos avaliar até que ponto as influências espirituais se encontram nesses mecanismos, a fim de que as intervenções sejam coroadas de êxito e pleno entendimento”.

Perguntaram a Chico Xavier se os Espíritos consideram os transplantes de órgãos prática contrária às leis naturais.

Chico respondeu: “Não. Eles dizem que assim como nós aproveitamos uma peça de roupa que não tem utilidade para determinado amigo, e esse amigo, considerando a nossa penúria material, nos cede essa peça de roupa, é muito natural, aos nos desvencilharmos do corpo físico, venhamos a doar os órgãos prestantes a companheiros necessitados deles, que possam utilizá-los com segurança e proveito”.

Todos podemos doar nossos órgãos ou há casos em que isso não se recomenda?

É claro que todos podemos.

A extração de um órgão não produz reflexos traumatizantes no perispírito do doador.

O que lesa o perispírito, que é nosso corpo espiritual, são as atitudes incorretas perpetradas pelo indivíduo, e não o que é feito a ele ou ao seu corpo por outras pessoas.

Além disso, o doador desencarnado é, muitas vezes, beneficiado pelas preces e pelas vibrações de gratidão e carinho por parte do receptor e de sua família.

A integridade, pois, do perispírito está intimamente relacionada com a vida que levamos e não com o tipo de morte que sofremos ou com a destinação de nossos despojos.

Há casos, no entanto, que a doação ou a extração de órgãos não se recomenda.

No dia 6 de fevereiro de 1996, atendemos um Espírito em sofrimento, que recebera o coração de um jovem morto num acidente, o qual, sem haver compreendido que desencarnara, o atormentava no plano espiritual, reclamando o coração de volta. Curiosamente, o Espírito que recebera o órgão sabia estar desencarnado e lembrava até haver doado as córneas a outra pessoa.

Indagaram a Chico Xavier: “Chico, você acha que o espírita deve doar as suas córneas? Não haveria nesse caso repercussões para o lado do perispírito, uma vez que elas devem ser retiradas momentos após a desencarnação do indivíduo?”.

Respondeu o bondoso médium mineiro (“Folha Espírita”, nov/82, apud “Chico, de Francisco”, pág. 84):

Sempre que a pessoa cultive desinteresse absoluto em tudo aquilo que ela cede para alguém, sem perguntar ao beneficiado o que fez da dádiva recebida, sem desejar qualquer remuneração, nem mesmo aquela que a pessoa humana habitualmente espera com o nome de compreensão, sem aguardar gratidão alguma, isto é, se a pessoa chegou a um ponto de evolução em que a noção de posse não mais a preocupa, esta criatura está em condições de dar, porque não vai afetar o perispírito em coisa alguma.

No caso contrário, se a pessoa se sente prejudicada por isso ou por aquilo no curso da vida, ou tenha receio de perder utilidades que julga pertencer-lhe, esta criatura traz a mente vinculada ao apego a determinadas vantagens da existência e com certeza, após a morte do corpo, se inclinará para reclamações descabidas, gerando perturbação em seu próprio campo íntimo. Se a pessoa tiver qualquer apego à posse, inclusive dos objetos, das propriedades, dos afetos, ela não deve dar, porque ela se perturbará
”.

Anos depois dessa resposta, registrou-se o caso Wladimir, o jovem suicida que foi aliviado em seus sofrimentos post-mortem graças às preces decorrentes da doação de córneas por ele feita, mostrando que, mesmo em mortes traumáticas como essa, a caridade da doação, quando praticada pelo próprio desencarnante, é largamente compensada pelas leis de Deus.

(O caso Wladimir é narrado no livro “Quem tem medo da morte?”, de Richard Simonetti.)


quarta-feira, 26 de setembro de 2012

O que é uma Limpeza Espiritual?


É um processo de conexão espiritual que nos permite aceder às energias do céu para retirar a densidade que temos acumulada no nosso peito, limpá-la, e depois voltar a reenergizar espiritualmente o nosso ser. Pode ser feita individualmente através de uma série de exercícios de meditação específicos ou, em situações em que a auto-limpeza é insuficiente, com a ajuda de uma terapeuta especializada.

Densidade é todo o tipo de energia negativa que acumulamos no nosso dia-a-dia, e ao longo da (s) nossa (s) vida (s). Pode surgir devido aos nossos pensamentos, gestos ou sentimentos, pode acumular-se por algo que os outros nos disseram ou fizeram, e pode também surgir de entidades que inconscientemente apanhamos. A melhor maneira de nos libertarmos dessa densidade é através de um processo de Limpeza Espiritual.

Como Ele diz …

Limpar-se das densidades energéticas próprias e do meio ambiente, é absolutamente fundamental no processo de evolução.

Vou começar por explicar este assunto de forma mais simples possível.
O corpo físico é sustentado por um campo energético. A energia entra, flui pelo corpo, é processada e sai.
Esse entrar e sair de energia é o que fornece ao homem a força e o equilíbrio para sustentar as actividades do dia a dia.
O sistema energético mantém uma ligação profunda com o sistema emocional, que por sua vez mantém uma ligação com o sistema mental, que por sua vez sustenta todo o sistema de crenças, isto é, as coisas em que o ser humano acredita.
Pois bem. Basta um ligeiro desequilíbrio no sistema de crenças para atingir o sistema mental, que por sua vez atinge o sistema emocional, que por sua vez pode bloquear o fluir do sistema energético.
A energia bloqueada provoca doenças. As mais variadas doenças, provenientes de bloqueios energéticos, provocados por bloqueios emocionais, por sua vez provocados pela mente. A mente é muito mais poderosa do que vocês imaginam. Bloquear uma emoção é um suicídio lento.

- E o que se deve fazer?

Antes do mais, limpar. Limpar os bloqueios existentes, e abrir o coração para não criar mais bloqueios. Viver as emoções livremente. Não criticar com a mente as emoções, à procura de uma lógica. Tens vontade de chorar, chora. Tens vontade de rir, ri. Sem perguntar o porquê. Sem procurar uma lógica. As emoções não têm lógica. Com o tempo, os bloqueios atuais vão sendo desfeitos e com uma nova atitude menos ilusória e de coração aberto vão se evitando mais bloqueios. Pôr o coração a par da mente, na vida, pois os dois são opostos e deverão ser vividos em igual intensidade. E limpar-se, limpar-se sempre.

A Minha Limpeza Espiritual, Alexandra Solnado


Com que frequência se deveria fazer uma Limpeza Espiritual?

Além da auto-limpeza que cada um de nós devia fazer diariamente, é aconselhada uma Terapia de Limpeza Espiritual sempre que sentir que algo está a bloquear o fluir da sua energia. Seja uma perda, um trauma que persiste, uma dor de que não se consegue libertar, ou qualquer outra situação que provoque um bloqueio a nível energético.

Em situações normais, e caso sinta que a sua auto-limpeza não está a resultar, é aconselhada uma Limpeza Espiritual pelo menos uma vez por mês, ou, idealmente, a cada 15 dias.

Nunca te esqueças da minha velha frase:
 “Tudo começa nas Limpezas”
                                                                   Jesus